Eu, Tu e os meus sapatos

Três semanas de Rodrigo

Há uns instantes. Três semanas de Rodrigo. Espera. Foi há uns instantes que ele nasceu ou foi há uns instantes que fez três semanas que ele nasceu? Já? E como é que foi?

Não sendo querendo ser repetitiva, vou contar a mesma história porque aparentemente isto da forma do bolo ser a mesma é mais do que ditado popular.

Indução. Controlada à distância pela médica que estava em consulta e cronometrou o processo para que fosse ela a fazer o parto. Tramada. Literalmente tramada. O puto podia ter nascido bem mais cedo (e o acampamento cigano que o esperava tinha ordem de libertação a horas decentes). Ele quase adormeceu por várias vezes ao longo do dia (menos quando se ia o efeito da epidural que me dava uma raiva do outro mundo e a ele vontade de rir – eu mereço, só pode) e eu passei uma fomeca que nem vos digo – o costume. Um percalço com um parto que deixou o serviço todo em alvoroço e o Rodrigo acabou por nascer quase à mesma hora que a irmã (e a mãe com a dilatação feita a engonhar dormitar há já algum tempo).

Não sirvo grande coisa para os fazer – … Ver artigo completo no Blog

Sobre o Autor

aMulher

aMulher

A equipa de aMulher.com

Deixe o Seu Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.