The Busy Woman and the Stripy Cat

Como ser mais feliz? Pratica a compaixão

{post anterior: Como ser mais feliz || Moda ou facto?}

Rita B. Domingues & Márcio C. Santos

Em primeiro lugar, há que definir compaixão e distingui-la de outras emoções próximas, como a empatia e o contágio emocional. O contágio emocional é uma emoção precursora da empatia e já está presente nos bebés; ocorre quando um indivíduo “apanha” uma emoção de outra pessoa, de forma inconsciente (Singer & Klimecki, 2014). A empatia, por seu lado, é um percursor da compaixão; empatia envolve sentir a mesma emoção que o outro indivíduo, sabendo que essa emoção não é sua. Apesar de ser uma emoção pro-social, necessária para a manutenção de relações interpessoais (Moore et al., 2015), demasiada empatia pode conduzir a comportamentos antissociais – o indivíduo sente necessidade de se afastar das pessoas para não sentir essas emoções, sobretudo quando são negativas. Elevados níveis de empatia estão ainda associados a um maior burnout emocional (Williams, 1989), tanto que níveis mínimos de empatia são recomendados aos profissionais de saúde para uma maior qualidade de vida (Gleichgerrcht & Decety, 2014).

Empatia e compaixão são frequentemente confundidas; no entanto, representam emoções distintas, associadas a sistemas biológicos e redes neuronais diferentes (Klimecki, Ricard, & Singer, 2013). Compaixão … Ver artigo completo no Blog

Sobre o Autor

aMulher

A equipa de aMulher.com

Deixe o Seu Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.