Auto-ajuda

Sete passos para elevar a auto-estima

mulher feliz

Esta artigo irá mostrar-lhe estratégias que o ajudarão a compreender a importância de um compromisso entre o corpo e a mente para perder peso.

Cada passo constrói o próximo, como a casca de uma cebola, levando-o à próxima camada e a atingir o seu objectivo num todo mais sólido, forte e motivado. Vai sentir-se Feliz!

Sendo que cada estratégia é a base da próxima, irá necessitar de passar por todas elas metodicamente e sentir-se feliz, de modo a progredir. Poderá entender que alguns passos são mais fáceis do que outros, mas cada um deles é um aspecto importante para não recuperar o peso que já perdeu.

 Conforme a vida vai passando, haverá alturas em que o seu peso irá flutuar e a sua força diminuir, e terá de voltar a entrar nos eixos. Poderá achar necessário consultar novamente esta secção, porque o que de inicio era uma estratégia fácil poderá ser, numa dada altura da sua vida, mais significativo e desafiante. Não é má ideia reafirmar o seu valor uma vez por ano, revendo as respostas que deu anteriormente aos sete exercícios das páginas seguintes e avaliando os progressos que fez desde então. Porque não criar um bloco de notas especial sobre auto-estima para este propósito?
COMO SE LIVRAR DO NEGATIVISMO

Sentir-se culpado ou zangado consigo próprio devido aos pequenos acontecimentos do dia–a-dia é uma coisa, mas se toda a sua vida for dominada por emoções negativas relativas a algo que aconteceu no passado, poderá necessitar da ajuda de um terapeuta para resolver esses assuntos. Lembre-se: o que quer que tenha feito e o que quer que faça hoje, fê-lo e está a fazê-lo o melhor que pode, considerando as circunstâncias.

1. RECONHEÇA

O QUE ALCANÇOU O que precisa de fazer: reconheça todas as grandes coisas que alcançou na sua vida. Orgulhe-se do que conseguiu e não minimize dizendo que foram “suficientes” ou “nada mal” – use palavras positivas que reflictam fielmente o que alcançou. Solte-as para fora!

A lógica: muitos de nós minimizam as suas conquistas, por vezes para que outros se sintam mais seguros. Na escola ensinam-nos a ser modestos, com os “bons” alunos a promover os que os rodeiam, nunca a si próprios. Esta modéstia pode, na verdade, sabotar a confiança, porque conforme progredimos na nossa vida, cada vez menos de nós receberemos elogios ou frases positivas sobre o nosso desempenho. Se não conseguimos reconhecer e muito menos demonstrar aos outros as nossas conquistas, elas passam despercebidas para quem mais importa -NÓS PRÓPRIOS. E lembre-se: se não valorizarmos o que fazemos, é um passo para que os outros também não o façam.

2. FAÇA UMA LISTA DOS SEUS SUCESSOS

O que precisa de fazer: elabore uma lista de todas as coisas que decidiu fazer na sua vida e que conseguiu cumprir. Inclua tudo o que possa imaginar, desde colocar prateleiras novas a passar no teste de condução, a mudar um pneu ou a ser promovido no emprego. Ficará provavelmente surpreendido com o que realmente conseguiu alcançar e isto animá-lo-á.
A lógica: o acto de relembrar acontecimentos ou situações em que se tenha deparado com desafios aumenta a sua confiança – se tiver a capacidade de traduzir o seu pensamento e discurso em acções.

3. RELEMBRE ACTOS PASSADOS DE CORAGEM

O que precisa de fazer: se se sentir desmoralizado ou incapaz de lidar com uma situação por medo de rejeição ou falha, o acto de listar os actos corajosos que teve noutras alturas ou noutras áreas da sua vida fará com que se lembre de que é capaz de confrontar as dificuldades. Para avivar estas memórias, considere o espaço de tempo desde a escola primária até à idade adulta. Tente juntar dez actos de coragem. Se não se lembrar, peça a um amigo ou a um membro mais velho da família.

Não importa o quão pequenos possam ter sido – pode ter sido decisivo para conseguir obter algo quando era pequeno ou até ir a uma festa onde sabia que estava o seu ex-namorado com a namorada nova.

Para além de cada acontecimento, registe também o resultado da situação.

A lógica: revisitar o passado e citar até os mais pequenos actos corajosos pode relembrá-lo da sua coragem. Quando envelhecemos, o nosso cérebro esquece frequentemente estes pequenos actos e, pelo contrário, tendemos a focar-nos no que sentimos que não conseguimos atingir ou ultrapassar. Até as pessoas mais tímidas terão tido momentos de bravura – o truque é lembrar-se a si próprio desses momentos.

4. ENTRE NA MÁQUINA DO TEMPO

O que precisa de fazer: faça uma lista de situações passadas das quais teve medo ou com as quais se preocupou. A seguir, considere o modo como lidou com elas e decida se lidou bem com elas ou não. Finalmente, perceba como julga que poderia ter melhorado o resultado utilizando uma aproximação ou estratégia diferentes.

A lógica: observar situações que lhe causaram dor ou problemas no passado e como lidou com elas, requer que avalie as suas estratégias. Também lhe permite ver que o resultado desejável nem sempre é imediato.

5, PENSE EM DESAFIO, NÃO EM PROBLEMA

O que precisa de fazer: é a velha questão – o seu copo está metade cheio ou metade vazio? Quer acredite ou não, comece a partir de agora a dizer que está meio cheio. Quanto mais o disser, mais irá acreditar. Sem se tornar evangélico, este novo olhar irá dar-lhe energia para conseguir alcançar o que pretende.

A lógica: o modo como vê uma situação pode ter um impacto significativo na forma como lida com ela. Portanto, pare de olhar para as dificuldades que a vida lhe traz como sendo problemas. Olhe para elas como desafios que lhe mostram novas formas de ver a sua situação e de aprender sobre si próprio e os outros. Utilize estes desafios como oportunidades para aprofundar o seu engenho e aproximar-se dos seus objectivos.

6. SEJA MADRUGADOR

O que precisa de fazer: todos os dias comece por fazer primeiro as coisas que menos quer fazer. Deixe as coisas boas para depois, como uma criança que deixa a sua comida preferida no prato para o fim. Conseguirá lidar com as coisas que deixaria de lado com maior eficácia e as suas acções dar-lhe-ão força para continuar com outras actividades do seu dia.

A lógica: deste modo não terá nada desagradável à sua espera. Pesquisas também mostram que conseguimos lidar melhor com as situações durante a manhã, porque os níveis das hormonas de stress, a corti-sona e a adrenalina estão naturalmente no seu ponto mais elevado nesta altura. Obtenha o melhor dos seus bioquímicos!

7. PERDOE-SE

O que precisa de fazer: comece já a pedir desculpa a si mesmo. Peça desculpa pelo modo como se tem culpado por um acontecimento na sua vida, quer tenha sido grande ou pequeno.

Reconheça o porquê de ter acontecido e perdoe-se. Depois, siga em frente.

A lógica: toda a gente erra às vezes, mas o importante é reconhecer o erro e seguir em frente. De acordo com um estudo da Universidade da Pensilvânia, as emoções negativas, tais como a depressão, a culpa ou o cinismo, estão associadas à distribuição de maior gordura abdominal, por causa da sua associação com a cortisol. Alojar sentimentos negativos não o ajudará a alcançar nada.

boto facebook

Sobre o Autor

aMulher

aMulher

A equipa de aMulher.com

Deixe o Seu Comentário