Livros, CD's & Filmes

Novo livro de Nicholas Sparks

melodia

Nicholas Sparks é um dos autores mais vendidos no Mundo, a «A Melodia do Adeus» é o seu mais recente livro. A história é a de um amor adolescente e a relação entre uma filha e um pai separado, estes são os temas principais de uma história que será adaptada para o cinema em 2010, sendo a protagonista Miley Cyrus, também conhecida por Hanna Montana. Este livro tem um pouco de tudo separação, desilusão, esperança e, sobretudo, o amor.
Um pouco sobre a entrevista que o autor deu:
 "Acredita que o divórcio é um dos grandes traumas da adolescência, mais do que a morte? Do seu ponto de vista, como os pais devem lidar com o divórcio em relação aos seus filhos?
Não, nem pensar, acredito que a morte dos pais ou de um irmão, por exemplo, são traumas superiores a um divórcio. Sobre como os pais devem lidar com o divórcio, tudo depende como ele acontece, se terminou com uma boa ou má relação entre os pais. Em «A Melodia do Adeus» os pais têm uma boa relação e quando Ronnie luta contra isso ela é ainda uma boa pessoa.

Os adolescente amam em demasia e muitas vezes esquecem a racionalidade. Isso é benéfico?
Amor é amor, não importa a idade. A emoção é o que é e o sentimento é maravilhoso, algo de mágico. Evidentemente que as diferentes idades trazem diferentes perspectivas sobre a vida, mas as pessoas podem se apaixonar em qualquer idade. Há sempre um aspecto de irracionalidade quando se trata de amor.

Como devem agir os pais quando vêem o seu filho apaixonado?
Depende da idade, mas, aos 16, 17 anos, a minha opinião é que os pais devem tratar os seus filhos como se tivessem 20, 30 anos. Sejam felizes por eles. No entanto, o amor nunca deve ser usado como uma desculpa para pararmos no tempo, para não amadurecermos. Ou seja, só porque um adolescente está apaixonado, ele não tem o direito de faltar a escola, por exemplo. O mundo não funciona dessa forma, regras são regras, mesmo que uma pessoa esteja apaixonada.

Definitivamente, o amor conquista tudo?
Não, mas ajuda a ultrapassar os momentos menos positivos da vida.

Escreveu o livro ao mesmo tempo que escreveu o argumento? Como foi este processo? Ficou feliz com a escolha de Miley Cyrus? Bem ou mal, é a junção de duas referências da actualidade: Cyrus na televisão e Sparks na literatura.
Concebi primeiro o livro, depois a forma do romance. Escrevi então o argumento e finalmente a novela. Não escrevi tendo em conta Miley no papel principal do filme, não escrevi com isso em mente. Procurei antes de tudo escrever uma grande história. O papel da personagem pode ser interpretado por qualquer jovem actriz.

Como analisa a progressão da sua carreira? Olhando para atrás, imaginou chegar onde está neste momento? Qual foi, para si, o ponto de viragem?
Honestamente não penso muito sobre a progressão da minha careira. O que me preocupa é o que estou a fazer neste momento, essa é a natureza da minha personalidade. Com excepção do sucesso do meu primeiro romance, nada foi particularmente surpreendente. Acredito que o ponto de viragem foi quando percebi que poderia ganhar a vida como escritor.

 

Sobre o Autor

aMulher

aMulher

A equipa de aMulher.com

Deixe o Seu Comentário