Crónicas de Engate

Mesmo Antes duma Coisa Qualquer

ivar

ivarDiz-me quem Amas, dir-te-ei quem és.
Foi o que ela lhe disse, numa ordem que estranhamente lhe pareceu doce, para fazer enquanto abria a garrafa de vinho.

E ele respondeu que não Amava ninguém, mas que estava a tentar Amá-la a ela. Depois, como se a nascente de palavras de cada um se tivesse esgotado precocemente na noite, entupiram-na com um primeiro gole do tinto. E foi assim que fizeram Amor pela primeira vez. Ela Amava-o, ele tentava Amá-la a ela.
Cada um despiu-se sozinho. Ela dobrou a roupa e colocou-a em cima da cadeira que tem a mania que é mesa de cabeceira, ele atirou cada uma das suas peças para onde calhou. As calças, por exemplo, ficaram em cima do computador portátil que piscava timidamente em cima da secretária. Apesar de tudo, ele estava com mais ansiedade por sexo do que ela. E foi assim que acabaram o primeiro copo de vinho, mesmo antes de fazerem Amor.

Os minetes não se fazem na vagina, fazem-se no clítoris. Devagarinho, insistiu ela pedindo por favor. E ele movimentou a língua como se procurasse ouro na lama. Não disse mais nada, enquanto o pénis endurecia lentamente e começava a beijar o lençol. Depois abraçaram-se no que pareceu ser o movimento de uma lesma. Ela por baixo, ele por cima. E foi assim que se vieram pela primeira vez, mesmo antes de adormecerem abraçados.

O sono dele foi o mais profundo de sempre, que há muito tempo que não adormecia acarinhado pelo cansaço do sexo. É como se nos contassem uma história antes de dormir, pensou ele antes de sentir as pestanas a fechar com uma força bruta. O sono dela não o chegou a ser, que nunca tinha tido sexo com um homem que não lhe tivesse declarado Amor. Mas talvez fosse melhor assim. Não há sexo mais honesto do que este, que se sustenta apenas num primeiro encontro e no facto de ser melhor que nada. É isso mesmo, à falta de Amor o sexo é melhor que nada. E foi assim que passaram a primeira noite juntos, mesmo antes do Sol nascer de novo.

Há muito tempo que trocam mensagens por correio electrónico, já nem se lembram muito bem porquê. Talvez por causa dum fórum qualquer sobre animais, pensa ela. É sempre assim, as pessoas discutem qualquer coisa quando procuram um Amor. Deixar uma mensagem num fórum da internet é como sair à rua e falar com todas as pessoas por quem nos podemos eventualmente apaixonar. A ver se alguma responde, claro. Ela apaixonou-se por ele assim, pela escrita. Talvez ele se apaixone por ela também, agora que beberam vinho e se abraçaram na noite. Mesmo antes de outra coisa qualquer.

Ivar Corceiro
Cronista Portal amulher.com 
http://www.ivarcorceiro.net
http://naocompreendoasmulheres.blogspot.com/

Sobre o Autor

aMulher

aMulher

A equipa de aMulher.com

Deixe o Seu Comentário