Eu, Tu e os meus sapatos

Inconsistência? Não. Humana.

Não trocava por nada os nove meses que estive dedicada a 100% a esta coisa maravilhosa que é ser mãe.

Foram nove meses maravilhosos que deviam ser acessíveis a todas as mães. Não é só escrever leis. É preciso patrocinar essas leis. É preciso ajudar orçamentos familiares (quantas famílias podem “dar-se ao luxo” de estar 3 meses com um dos membros a receber 25% do seu salário?). É necessário mudar mentalidades. É obrigatório alinhar os parceiros sociais. É, arrisco-me a dizer, imperativo fomentar a natalidade. De tantas e tantas formas.

Volto aos nove meses. Foram nove meses que deviam ser doze. Já estava com vontade – muita, de voltar a ser mais qualquer coisa além de “só mãe”, mas sei e sinto que eu e ele – e todas as mães e filhos, deviam ter estes 12 meses de namoro adolescente em exclusivo.

Estou há trabalhar há quase dois meses. É segunda-feira e estou de rastos. Muito trabalho. Muito stress. Muitos minutos contados, reuniões sobrepostas, emails por responder. Estou de rastos. Uma enxaqueca que não me larga. Vai um dia, volta e fica três. Alergias a querer chatear. E a chatear. Um mau estar geral que só melhora no fim-de-semana. Mas – assumo, … Ver artigo completo no Blog

Sobre o Autor

aMulher

aMulher

A equipa de aMulher.com

Deixe o Seu Comentário