Eu, Tu e os meus sapatos

Filhos de segunda?

Já estive tantas e tantas vezes para escrever sobre isto… Não, não pensem que é alguma espécie de reserva. De todo. Mas é um assunto tão sensível, são histórias de vidas e sentimentos reais. Meus, dos meus e de tantas e tantas mulheres (e homens também). É necessária cautela, empatia e muita sensibilidade.

Haverá filhos de segunda? Não!

É socialmente (emocional, psicológica, moral e eticamente também) considerado e aceite como condição única e verdadeira que os filhos são todos iguais no coração de um pai. É natural que exista mais empatia com um, ou até cumplicidade. Somos todos seres humanos diferentes, com personalidades distintas e empatia não pode nem deve ser confundida com amor. O amor de um pai e de uma mãe é igual para e por cada filho que tem.

Então para quê chavões? A crueldade de considerar que um filho substitui ou tapa a ausência de outro é um dos chavões mais cruelmente proferidos. Quando uma mãe aborta. “Pensa que já tens o Manel!” Quando um pai perde um filho. “Agarra-te à Ana. Ainda tens a Ana!”. Quando um casal quer ter mais um filho e não consegue. “Deixa lá! Tens o Francisco!”.

É cruel. É absurdo. É falar por falar. … Ver artigo completo no Blog

Sobre o Autor

aMulher

aMulher

A equipa de aMulher.com

Deixe o Seu Comentário