Economia cá de Casa

Feijão de Molho

Há uns tempos atrás a minha mãe, depois de umas arrumações em casa do meu avô, encontrou quilos de feijão seco, ainda do tempo em que os meus avós cultivavam a horta e o quintal. Claro que me enviou para aqui um saco cheio que arrumei em frascos de vidro da despensa. De vez em quando lá vou eu dar uma volta pela despensa e olho sempre para o feijão a pensar que o tenho de demolhar e cozer (não todo de uma vez, mas uma parte dele!)
Confesso que, apesar de comprar leguminosas secas, de as demolhar e cozer, por questões essencialmente práticas, tenho comprado as leguminosas já cozinhadas e prontas a usar. Preparar as refeições é mais rápido assim, mas se eu planeio tudo com antecedência, porque razão me deixo levar pela preguiça, e não aproveito para demolhar as leguminosas? Até porque não é uma novidade para mim, apenas me tenho desleixado com este ponto…
Voltei ao feijão do avô – e já a pensar na ementa da próxima semana – e lá coloquei uma parte de molho para depois cozer.E depois de cozido vou guardar em caixinhas ou frascos de vidro e congelar, para ir usando conforme as necessidades … Ver artigo completo no Blog

Sobre o Autor

aMulher

aMulher

A equipa de aMulher.com

Deixe o Seu Comentário