Saúde & Beleza

Cuidado com os seus pés, no Verão!

pes2

A tinha dos pés ou tinea pedis, é uma doença vulgarmente conhecida como “pé-de-atleta”. Trata-se de uma afecção bastante comum em todo o mundo. É mais comum nos meses de Verão e também nos climas tropicais e subtropicais, assim como em comunidades fechadas (como equipas de atletas ou organizações militares).

A incidência do pé-de-atleta é também maior em pessoas que usam
calçado fechado e em indivíduos que frequentam piscinas e chuveiros públicos.

Trata-se de uma infecção transmitida habitualmente de pessoa a pessoa, quer através do contacto directo, quer através do solo ou de objectos contaminados, uma vez que os fungos causadores têm a capacidade de sobreviver nestes ambientes, sobretudo se houver condições óptimas de calor e humidade.

 

Causa

O pé-de-atleta é causado por espécies de fungos da família dos dermatófitos. Estes agentes também causam doença noutros locais do corpo. O tipo de manifestações é diferente consoante a área do corpo atingida.

 

Manifestações clínicas

A manifestação mais comum do pé-de-atleta é a descamação e fissuras (comummente chamadas “gretas”) nos espaços entre os dedos dos pés e por vezes também por baixo destes. Esta descamação pode depois espalhar-se para a planta dos pés. Pode haver comichão ou mesmo sensação de ardor ou dor se as fissuras estiverem presentes. A transpiração aumentada dos pés é uma queixa frequente e que pode facilitar o aparecimento das lesões.

Outro tipo de manifestação é a descamação na planta dos pés que habitualmente aparece nos dois pés e não se acompanha, em geral, de sinais significativos de inflamação, como por exemplo a vermelhidão.

Mais raramente as manifestações podem consistir no aparecimento de pequeninas bolhas com água ou pus na planta dos pés, neste caso já acompanhadas geralmente de sinais de inflamação (como a vermelhidão).

O pé-de-atleta pode acompanhar-se de micoses de outras partes do corpo, como as unhas dos pés, virilhas e mais raramente noutros locais.

O pé-de-atleta, por si só, não provoca febre ou outras queixas gerais. A presença destes sintomas deve alertar para possíveis complicações.
Diagnóstico

O diagnóstico do pé-de-atleta é essencialmente clínico, isto é, feito apenas pela observação do doente. Em caso de dúvida, podem colher-se escamas ou outro material para tentativa de identificação do fungo causador.

 

Prevenção e tratamento

É importante tratar o pé-de-atleta para prevenir possíveis complicações, como por exemplo infecções da pele provocadas por bactérias, que podem penetrar, por exemplo, através das fissuras entre os dedos dos pés.

O tratamento pode consistir apenas na aplicação de cremes com capacidade para combater fungos (antifúngicos), ou associar-se também medicamentos por via oral nos casos mais graves.

A prevenção das recorrências da doença não é fácil, uma vez que, como já se disse, os fungos podem sobreviver no solo ou nas roupas, além da possibilidade de transmissão entre pessoas.

São importantes as seguintes medidas: controlar a humidade dos pés; usar calçado arejado sempre que possível; evitar andar descalço em balneários, piscinas, etc., evitar partilhar vestuário, toalhas ou outros objectos de uso pessoal.

 

Dr. José Carlos Cardoso
Dermatologista

Sobre o Autor

aMulher

aMulher

A equipa de aMulher.com

Deixe o Seu Comentário