Saúde & Beleza

Corrimento

corri

A agressão de vários microorganismos podem causar doenças como os fungos e bactérias.
Alguns locais do organismo são mais propensos a este tipo de agressão, locais húmidos ou de temperatura muito elevada como os órgãos sexuais externos da mulher (a vulva e vagina).
As infecções neste local são chamadas de vaginites. Existem três mais comuns: a Candida albicans que produz uma vaginite muito irritadiça com muita comichão, dor quando urinamos e um corrimento branco como  a "nata de leite". Outra a Gardinella vaginalis, um microorganismo que possui um órgão locomotor: o flagelo, causador de uma leucorréia de odor muito forte porém em pequena quantidade e por fim temos o Tricomonas vaginalis agente causador de um corrimento sem comichão e sem odor forte porém em grande quantidade. Quando surgir este tipo infecção vá ao seu médico.
Entretanto poderá tomar alguns cuidados:
– use roupas mais leves. Nada de calças de ganga ou licras.
– não misture as suas roupas com as de outras pessoas;
– não faça duches vaginais, pois só piorará o seu estado
-o marido, parceiro ou companheiro/a, portador de muitos agentes causadores de corrimentos, tem que ser tratado.
Condiloma vaginal
O Condiloma é uma Doença Sexualmente Transmissível que provoca na maior parte dos casos o cancro de colo do útero. Se tiver esta doença terá que ter um acompanhamento ginecológico semestral, pois o vírus causador, HPV, não sai do sangue de vez em quando, pode provocar verrugas que devem ser tratadas.
Transmite-se por relações sexuais ou objectos de uso íntimo.
Como se pode prevenir? Se usar preservativo e fazendo um auto exame aos seus próprios órgãos genitais (ver a cor, aparência, cheiro e pele)
Sintomas: A mulher apresentará verrugas na região genital, ânus ou boca. Essas verrugas podem desenvolver-se causando cancro do útero. O homem pode apresentar verrugas no pênis, principalmente na glande, mas também no saco escrotal.
Tratamento:
Se tiver  DST deve procurar um médico para evitar o desenvolvimento e agravamento da sua doença.

Infecções Vaginais
Os micro-organismos mais frequentes implicados nestas infecções são a Candida albicans, Trichomonas vaginalis e a Gardnerella vaginalis esta última responsável pela vaginose bacteriana.

 

Existem outras causas menos frequentes como a atrofia da mucosa vaginal na mulher na pós-menopausa ou que está a amamentar, a utilização de substâncias irritantes químicas como por exemplo alguns produtos de higiene íntima com perfume, o contacto com materiais que causam alergias como por exemplo os pensos diários ou a roupa interior de material sintético ou os corpos estranhos.

 

A vaginose bacteriana e a Candidíase não são habitualmente transmitidas por via sexual ao contrário da Tricomoniase.

 

A Candidíase é a infecção vaginal mais frequente. É causada na maior parte das vezes pela Candida albicans. Cerca de 75% das mulheres irão ter pelo menos um episódio na sua vida e 40 a 45% terão dois ou mais episódios.

 

Os sintomas associados a esta infecção são um corrimento branco e espesso associado a prurido. Pode também ocorrer edema, sensação de queimadura, dor nas relações sexuais e ardor ou dor a urinar.

 

Observa-se uma vermelhidão vulvo-vaginal e por vezes fissuras na vulva. Em muitas mulheres estes sintomas aparecem durante tratamentos com antibióticos que desequilibram a flora vaginal.

 

A identificação de Candida na ausência de sintomas, por exemplo na citologia do colo do útero, não é indicação para tratamento porque podem fazer parte da flora vaginal normal.

 

O tratamento desta infecção é efectuado com cremes ou óvulos de aplicação vaginal podendo por vezes em casos mais complicados poder ser por via oral. Geralmente o tratamento é de curta duração e resulta em alívio dos sintomas em 80 a 90% dos casos.

 

Algumas mulheres têm Candidíases recorrentes e nestas os tratamentos tendem a ser mais prolongados. O tratamento do parceiro sexual não é recomendado a não ser que ele tenha sintomas ou quando as infecções são recorrentes.

 

Durante a gravidez esta infecção é frequente e o tratamento é semelhante. Ter em atenção que sempre que se utilizam terapêuticas locais, a nível da vagina, pode haver diminuição da eficácia do preservativo.

 

A infecção por Trichomonas vaginalis manifesta-se por um corrimento vaginal esverdeado com um cheiro desagradável e ardor vulvar.

 

O tratamento é feito por via oral e o parceiro sexual deve ser tratado pois esta é uma infecção de transmissão sexual. Durante este tratamento deve ser feita abstenção de bebidas alcoólicas.

A vaginose bacteriana é uma infecção vaginal que resulta da substituição da flora vaginal normal por outro tipo de bactérias. Esta infecção manifesta-se por corrimento abundante branco acinzentado com cheiro fétido que agrava após as relações sexuais e menstruação, mas pode cursar sem sintomas.
O tratamento é feito por via oral ou vaginal e não é recomendado o tratamento do parceiro sexual. Durante a gravidez deve ser efectuado um exame às secreções vaginais (exsudado vaginal) para despiste de infecções que possam conduzir a complicações nomeadamente ao parto pré-termo.

Higiene adequada, evitar a aplicação de produtos que desequilibrem a flora vaginal, evitar a depilação completa assim como o uso de pensos diários ou de roupa muito apertada são formas de prevenir algumas destas infecções.

 

A existência de corrimento é normal nas mulheres, tão normal como a transpiração pois resulta da secreção das glândulas existentes no colo do útero. Este corrimento pode variar em quantidade dependendo da altura do ciclo menstrual, da idade da mulher ou da utilização de anticoncepcionais. O importante é estar atenta aos sinais que possam indicar infecção e nessa altura recorrer ao seu médico.

 

Dra. Tereza Paula,
Ginecologista/Obstetra na Maternidade Alfredo da Costa,
Voluntária na Associação para o Planeamento Familiar
Fonte: Saúde em Revista

Sobre o Autor

aMulher

aMulher

A equipa de aMulher.com

Deixe o Seu Comentário